9 de outubro de 2008

Na Mesa de Cabeceira

"Tinham-lhe ligado a veia a um soro, dada a sua debilidade. Os alimentos desciam-lhe contra a corrente sanguínea. Para Bartolomeu era o inverso: ele é que estava alimentando o hospital, com os fluidos que lhe extraíam. Esse sangue roubado circulava agora pelo edifício, escorria pelos fundos e se espalhava no vermelhão dos poentes. «O hospital é um lugar doente», reclamava o velho. Ao escapar-se daquele antro ele regressava para os seus antigos recantos. «Eu e a casa sofremos de uma mesma doença: saudades», disse."

"Medo de fechar os olhos, medo de desligar a televisão, esse ecrã para onde ele transfere os trabalhosos sonhos.
- Essa máquina é porreira, Doutor, ela sonha por mim, me alivia dessa canseira de sonhar."

"Riem-se. Rir junto é melhor que falar a mesma língua. Ou talvez o riso seja uma lingua anterior que fomos perdendo à medida que o mundo foi deixando de ser nosso."

Extracto de "Venenos de Deus, Remédios do Diabo", de Mia Couto

5 comentários:

A CONCORRÊNCIA disse...

Posso fazer-te um pedido ? Quando o acabares de ler emprestas-mo ? Só por um bocadinho ... eu tiro fotocópias e devolvo-to parece-me ser um daqueles livros que devemos sempre ter perto de nós.

Beijos

zmsantos disse...

Tiras fotocópias, Isabel?!
Isso diz-se, assim, em público?
Isto é que vai uma crise...

A CONCORRÊNCIA disse...

Podes crer Amigo, podes crer ...
Olha eu até proponho em vez de crise chamarmos-lhe catástrofe ...

Mukanda disse...

Não há nada mais gratificante na vida, que ter a nosso lado, quem fale a mesma lingua que nós.
Que saiba viver com o nosso silêncio, com as nossas alegrias, com as tristezas,..., que seja amigo (a) e cúmplice.
Podes ser uma televisão?!
Pode ser uma pessoa?!
Pode ser um animal?!
Pode ser o que nós quisermos! Desde que nos faça feliz.
A Tia Celeste, também, sempre adorou Mia Couto.
O pouco que eu já li dele, também gostei muito.
Besos e um bom dia
Andreia

Lusaut disse...

..tb já está aqui na minha mesa de cabeceira...