5 de dezembro de 2007

Pela voz do poeta

NÃO ME PEÇAS MAIS CANÇÕES

Não me peças mais canções
Porque a cantar vou sofrendo;
Sou como as velas do altar
Que dão luz e vão morrendo,
Se a minha voz conseguisse
Dissuadir essa frieza
E a tua boca sorrisse!
Mas sóbria por natureza
Não a posso renovar
E o brilho vai-se perdendo...
-Sou como as velas do altar
Que dão luz e vão morrendo

António Botto

2 comentários:

Uma vida qualquer disse...

Eu cá peço mais canções, que estou em crer que ainda me "deves" duas!
Besos guapo.

Princesa disse...

Bonito mas ... se o nosso poeta António Botto te ouvisse cantar, quase aposto que não escrevia o poema assim! ;)
Jokas, Isabel