8 de maio de 2007

Um santo jornal....



Não percam, esta semana com o Correio da Manhã:
Dia 8 - Vela
Dia 9 - Terço
Dia 10 - Dezena
Dia 11 - Guia de Fátima
Dia 12 - Estatueta de Nª Sra. de Fátima
Mais informações, aqui.
Ouvi dizer que na próxima semana será oferecido, com o jornal, um Cd com o tema "Minha Senhora da Solidão", do Jorge Palma:
Minha senhora da solidão
Minha senhora das dores
Quanto tempo falta para te ver sorrir
Quantas misérias ainda vais exibir
Quanto tempo mais vou ter de te ouvir queixar?
Minha senhora da solidão
Vê como o Sol brilha hoje
Odeio ver-te sempre de luto
Gostava de ver o teu olhar enxuto
De descobrir alguma graça no teu andar
O teu crucifixo não me ilumina
E o teu sacrifício não me pode fazer bem
Não é bom para ninguém
Huuum, não ajudas ninguém...
Minha senhora da solidão
Minha senhora dos prantos
Tens um "ai" encravado na boca
Que dia após dia te sufoca
Precisas de bem mais que uma simples oração
Minha senhora da solidão
Minha senhora das culpas
Tenho que evitar o teu contágio
Não quero mais saber do teu naufrágio
A praia esteve sempre ao alcance da tua mão
O teu crucifixo não me ilumina
O teu sacrifício não me pode fazer bem
Não é bom para ninguém
Huuum, não ajudas ninguém...

7 comentários:

zmsantos disse...

Será que se eu pedir muito, poderão incluir também, como oferta, esta canção do Rui?


Ai Quem Me Dera A Mim Rolar Contigo Num Palheiro
Rui Veloso
Composição: Carlos Tê / Rui Veloso

Olhas-me bem romeira
Com esses olhos de malícia
Oh é esse andar romeira
Bem sabes que é uma delícia

Pousa esse olhar em mim romeira
Porque já amanhã me vou
Se quiseres pelo fim da feira
Todo o meu sono te dou

Esse teu sorriso tão matreiro
Aí quem me dera a mim
Rolar contigo num palheiro

Esse teu seio é um braseiro
Essa boca viva de romã
Teu pescoço teu traseiro
Oh por eles não ía amanhã

Pegaste em mim tão brejeira
Lá para trás dos olivais
E por esse teu jeito romeira
Não me fui daqui jamais

Esse teu sorriso tão matreiro
Aí quem me dera a mim
Rolar contigo num palheiro



Abraçinhos!

SalgasVelho disse...

Boa proposta Zé.
Já sei que me vais chamar marreta ou algo pior mas...abraçinhos?

Abracinhos pra ti também!

zmsantos disse...

Aqui, 'cedilha-se' tudo. Até a 'çêde'...

Tá um calor do çaraças, não tá?

Abrassinho!

Rogério disse...

Se o seu português
No escrever é traiçoeiro
Temos a solução
CORRECTOR SALGUEIRO!

Mukanda disse...

Olecas!Olecas!!
Vocês são fantásticos!
Gosto de vos ver assim bem dispostos... :)
Que saudadinhas eu tenho!
E quanto ao corrector Salgueiro...
Eu quero! Eu quero!!
Posso encomendar por aqui?!
Beijos grandes aos 3
Mukanda

SalgasVelho disse...

Mukanda! Bem-(re)vinda.
Nem precisas encomendar. Para os Amigos estarei sempre disponível.
Beijos.

De cedilha em cedilha
Ou ponto de exclamação
Não é preciso a Cartilha
Estar sempre aí à mão

Basta um amigo
Porreiro
Leitor sagaz
Companheiro
Bem antigo
Mas capaz

E se acham que esta rima
Só se aplica ao Charraz
Puxem-no mais p'ra cima
Não pensem mal do rapaz

Quisera eu ser Doutor
Para saber bem escrever
Mas como devem perÇeber
Resta-me ser CORRECTOR!

Beijos e Abraços dos grandes!

zmsantos disse...

Grande Salgueiro! Sempre de resposta pronta, esgrimindo a ironia de ponta-e-mola em gestos esquivos de cinéfilo ninja. E vejam só, quando a motivação é um pouquinho mais do que suficiente, até faz versos...

Só a Barbosa du, te comparo amigo.

(A propósito de boémios, quando é que nos encontramos?)

Abraço.