16 de maio de 2007

"Ninguém sentiu a falta dele..."

Seria cómico, se não fosse tão trágico.

Notícia do PortugalDiário:

Encontrado na cama sete anos depois de morrer

O corpo de um homem foi encontrado sozinho na cama sete anos depois de sua morte, na Alemanha, noticia o site G1, da Globo. Segundo um comunicado da polícia de Essen, o homem tinha 59 anos e estava desempregado quando faleceu.

Terá morrido de causas naturais sensivelmente a 30 de Novembro de 2000, quando recebeu uma correspondência do fundo de bem-estar social da cidade.

Perto da cama foram encontrados cigarros, um guia de TV aberto e marcos alemães, que deixaram de circular em 2002 com a chegada do euro. O prédio onde morava abriga escritórios e apartamentos residenciais, muitos deles vazios.

«Ninguém sentiu a falta dele. Não há registro de desaparecimento», frisou a policia.

2 comentários:

Mukanda disse...

O teu post de hoje deixou-me triste...
Recordou-me do que tanto me tento esquecer, para não doer, para não sofrer!
Mas não consigo!
Não me sai do pensamento, o meu pai.
A quem já enviei uma mensagem hoje a dizer: “Olá papá, bom dia! Está tudo bem? Um Beijinho.”
Para a qual não obtive qualquer resposta, como sempre!
Sem dúvida que será muito triste e solitário para quem nunca foi recordado........e único sentimento que apenas resta é:
"Ninguém sentiu a falta dele..."
Mas talvez mais triste seja, para quem sempre amou, sempre recordou e o único sentimento que sempre esteve e está presente é:
"Ela sempre sentiu a falta dele...mas ele nunca lhe ligou..."
Ela nunca o teve!
Talvez ela o mereça ou não?!
Tem sido uma pergunta constante ao longo da sua vida.
Talvez como uma desculpa para o perdoar das suas atitudes, da sua forma de estar na vida, da sua ausência como pai, da ausência do seu amor, do seu carinho, da sua amizade, da sua cumplicidade, de tudo!
Que transmitido desta forma parece ser pedir muito.......mas apenas era só querer ter um PAI!
Porque ela não pediu para nascer!
Porque ninguém pede para nascer!!!
Talvez ela nunca venha a saber o porquê?
Talvez porque teria de ser mesmo assim! Ou não?!
Talvez ela tenha aprendido a viver com esta ausência ou não?!
Talvez quando a saudade aperta mais do que o normal....e a ausência tende a vingar, ela tenha “encontrado formas” de compensar todos esses sentimentos.
Porque também não teve outra hipótese!
Só espero que um dia quando tiver filhos (as), nos seja possível a ambos, optar pela escolha que nunca me foi dada a mim, enquanto filha do meu pai!
Pode ser que um dia, papá, quando deres o teu último suspiro, me consigas ouvir a sussurrar-te ao ouvido : “... que tolo que tu fostes em não teres aproveitado e usufruído à grande a tua filha Andreia...”
Mas mesmo assim, de certeza que eu estarei a teu lado a pegar-te na mão e a dizer: “...não faz mal papá...eu estou aqui e sempre gostei muito de ti, podes ir em paz...”
Pode ser que ai finalmente percebas que perdeste os melhores anos, dias, momentos da tua vida!
Se é que já não percebeste....mas que também não fazes nada por isso.
É sempre a mesma a correr atrás. Mas desta vez........já não correrá!

Obrigada mais uma vez, mami, por teres estado sempre do nosso lado.
Por nos teres criado com tudo o que tinhas e não tinhas!
Tudo o que eu e a minha irmã somos hoje devemo-lo a ti.
OBRIGADA!
Serás sempre a nossa mãe, pai, melhor amiga, cúmplice,...,tudo!
Amo-te muito.
Amamos-te muito!
Serás sempre o nosso amor eterno.

Mukanda

Beijo muito grande Charrazito

Rogério Charraz disse...

És um ser humano absolutamente lindo! Tenho muito orgulho em ti!!

Bj muuuuuuuuito grande!!