30 de abril de 2007

Desabafo

Há dias em que me apetece dizer bem alto que a vida é uma merda! Assim mesmo, sem eufemismos, sem pudor, sem medo - uma merda!

O meu amigo Correia fez anos há algumas semanas, e claro, para ele todos os pretextos são bons para reunir os amigos à volta da mesa. Se há coisa que o motiva, mais a sua Ju, é comer e beber na companhia dos amigos que tão bem sabem mimar.

Eu estive para ir, disse a quase toda a gente que aparecia, mas em cima da hora acobardei-me na desculpa recorrente do cansaço. Claro que mais do que a fadiga, o que mais me desviou foi a tristeza que sabia que iriam sentir quando lhes dissesse olhos nos olhos que o casamento que ambos abençoaram já não existia, apesar do enorme sentimento que aínda e sempre nos unirá. Mesmo sabendo que o carinho e amizade que nutro por eles serão sempre correspondidos, acobardei-me e nem fui capaz de ligar, refugiando-me num recado enviado por terceiros.

No passado sábado acordei com uma mensagem no telemóvel. O Correia teve um AVC, está combalido. E a tristeza que me envolve o peito é proporcional ao seu amor à vida. E é essa vontade de viver que o vai ajudar a dar a volta a esta situação, e eu espero poder dar o meu contributo para que isso aconteça. Na certeza que terei que aprender a não me acobardar, porque às vezes a vida é implacável, e amigos como o Correia não merecem que nos concentremos na mesquinhice dos nossos problemas.

Desculpem-me o desabafo, bom feriado para todos!

3 comentários:

Princesa disse...

Caro Charraz! A vida não é uma merda mas às vezes prega-nos umas valentes partidas e não adianta culpabilizarmo-nos.
Nem sempre podemos exigir de nós a perfeição e há momentos em que estamos mais constrangidos.
Nem sempre conseguimos encarar todas as situações de forma aberta e descontraída e isso faz parte da natureza humana e das nossas fraquezas e fortalezas.
Vamos torcer para que o teu amigo ultrapasse rapidamente esse problema.
Um abraço,
Isabel

Uma vida qualquer disse...

Infelizmente, só acordamos depois de ter adormecido.
Besos y anímate.
PS: Há quem lhe chame coisas piores.

Alentejanita disse...

Primo,
a vida por vezes tem estrnhas formas de nos mostrar as coisas e consegue-nos pregar partidas que nos deixam sem reação.
Pior do que ver um amigo doente e não poder fazer nada é ver partir um amigo e não poder fazer nada.

è a amneira que a vida tem para nos mostrar que não a podemos desperdiçar com ninharias ...

beijo grande para vocês. Já tenho saudades vossas.

sarita