26 de fevereiro de 2007

Meu Amor Eterno


Quando eu for grande (carta aos meus netos)



Quando eu for grande quero ser

Um bichinho pequenino

P'ra me poder aquecer

Na mão de qualquer menino



Quando eu for grande quero ser

Mais pequeno que uma noz

P'ra tudo o que eu sou caber

Na mão de qualquer de vós




Quando eu for grande quero ser

Uma laje de granito

Tudo em mim se pode erguer

Quando me pisam não grito



Quando eu for grande quero ser

Uma pedra do asfalto

O que lá estou a fazer

Só se nota quando falto



Quando eu for grande quero ser

Ponte de uma a outra margem

Para unir sem escolher

E servir só de passagem



Quando eu for grande quero ser

Como o rio dessa ponte

Nunca parar de correr

Sem nunca esquecer a fonte



Quando eu for grande quero ter

O tamanho que não tenho

P'ra nunca deixar de ser

Do meu exacto tamanho



Manuela de Freitas



Parabéns, Mãe!

6 comentários:

zmsantos disse...

Parabéns a esta Mãe pelo seu excelente trabalho. O resultado está á vista. Para isso basta, apenas, ser amigo do Seu filho Rogério Charraz.

Longa vida se deseja...

Andreia disse...

Houve tempos em que precisei de chorar e você consolou-me....
Houve tempos em que sorri,
e você sorriu comigo....
Houve tempos em que discuti, questionei........ e você apoiou-me...
Houve tempos em que sonhei, lutei, acreditei e vivi intensamente muitas emoções.
E você, com a sua Amizade Verdadeira e com o seu jeito tão Especial/Humano
esteve sempre do meu lado...
Hoje, sou uma mulher muito mais rica e feliz por a ter na minha vida, há quase 8 anos,como minha Sogra e sobretudo como minha Amiga!
Obrigada por tudo!
Obrigada, por me considerar também uma filha e me ter tratado sempre como tal....
Gosto muito de si!
OBRIGADA!!!!!
Muitos Parabéns.
Um beijo muito grande da sua Nora e Amiga.
Andreia

Patricia disse...

Parabéns tia !!!
Que venham muitos anos cheios de amor, carinho, paz e felicidade!!!

Bejos

Alentejanita disse...

Parabéns Tia e parabéns primo porque realmente a tua mãe fez um excelente trabalho contigo... (e dizia a mãe que ele não se criava...)

Um beijo do tamanho do mundo para todos vocês

da prima alentejana
sara

Princesa disse...

Como mãe, emociono-me sempre que a ternura de um filho é expressa de forma tão clara e sincera.
O meus votos de uma vida longa e feliz!

sandra disse...

parabéns.