15 de fevereiro de 2006

Passeio dos prodígios

Vamos enganar o tempo
saltar para o primeiro combóio
que arrancar da mais próxima estação!
Para quê fazer projectos
quando sai tudo ao contrário?
Pode ser que, por milagre,
troquemos as voltas aos deuses
Jorge Palma

3 comentários:

zmsantos disse...

Os deuses já nos abandonaram há muito. Está na hora de levarmos o Nietzsche ao poder.
Fora de propósito, trago o livro do Sting, comigo há 2 dias...

Um abraço, Grande!

S.Blanco disse...

Depois de deixar o primeiro comentário é mais fácil voltar a faze-lo.
Gosto da seguinte estrofe:

Entre o caos e o conflito
a vontade e a desordem
não podemos ver ao longe
e corremos sempre o risco de ir longe demais

Rogério Charraz disse...

Pois é, Zé Manel, e logo hoje que não tocamos. Tenho que arranjar maneira de lhe aliviar esse peso...

Caríssima Sandrina, toda ela é brilhante, não é? Fica à vontade, comentários precisam-se...