16 de fevereiro de 2006

Estranho...

São de 22h15 de uma Quinta-feira, e eu estou em casa. Estranho....

3 comentários:

zmsantos disse...

Pois é, a tradição já não é o que era... O meu amigo é um jovem, e "deita-se" com as galinhas.
Eu, com esta idade (falta-me pouco para ter estatuto de elefante)fui o último a sair do Qlub71.

Ó tempora ó mores!

Um abraço, Grande

Anónimo disse...

"Quanta coisa aprendi e sei e está aí à minha disposição quando dela preciso.Mas esta simples verdade de que estou vivo,me habito em evidência,me sinto como um absoluto divino,esta certeza fulgurante de que ilumino o mundo,de que há uma força que me vem de dentro,me implanta na vida necessariamente,esta totalização de mim próprio que me não deixa ver os meus olhos,pensar o meu pensamento,porque ela é esses meus olhos e esse meu pensamento,esta verdade que me queima quando vejo o absurdo da morte,se pretendo segurá-la em minhas mãos,revê-la nas horas no esquecimento,foge-me como fumo,deixa-me embrutecido,raivoso de surpresa e de ridículo..."
Vergílio Ferreira

É assim.
Amigo,aqui te deixo estas palavras,como um sinal de reconhecimento e amizade.
De longe,palavras minhas,mas sinto-as saidas de mim.Obrigado.
O livro de onde tirei este pequeno texto,dá pelo nome de " Aparição",e aí entras tu,obrigado por teres entrado no meu peito.
Aquele abraço.

O Sapito.

SalgasVelho disse...

Estranho dizes tu e eu digo injusto. No mínimo.
Surpreendente também para quem se habituara a ver-te e a ver-vos naquele sítio "do costume".
Como se não bastasse esta estranheza, uma outra me surpreendeu ao ler estes comentários; o Sapito lê Vergílio (Virgílio?)Ferreira!!! Boa!
De surpresa em surpresa se vai fazendo um Homem!
Para ti o abraço "do costume", para ele um beijo, menos "do costume" do que, decerto, desejaríamos.