24 de fevereiro de 2006

Hoje lembrei-me, amigo


Lembras-te amigo?

Lembras-te das noites e noites a dar toques na bola, tu sempre mais atinado que eu, horas e horas a fio, 1, 2, 3, 4, 5, olha o carro, 6, 7, 8, 9, boa! já bateste o recorde...

Lembras-te da pancada que nos deu (ideia tua e do Esteves, claro!) de andar a noite toda a roubar os "pipos" dos pneus dos carros da vizinhança inteira. E os vizinhos no dia seguinte a vociferar contra os malandros, que não têm nada que fazer, que se os apanhassem, e nós em cúmplice sorriso interior...

Lembras-te amigo?

das brincadeiras na praceta, o nosso reino, os três mosqueteiros a lutar contra as espigas, os concursos com prémios e tudo, o campeonato de caricas, os tribunais, o juiz, o advogado de defesa, o Gouveia de testemunha a "comer o seu pratinho de feijões"...

do aniversário em casa do Tilas,
ainda hoje para os meus pais ele é o Tilas, e se o gajo detestava a alcunha...
a compor-mos o hit da época, a letra cheia de telefonemas, para os jogadores do Benfica, claro! E o lado B, "Meu amigo Cabo Verde"...

Lembras-te amigo?

das longas tardes a jogar à bola, do golo de calcanhar que marcaste a jogar aos centros com os grandes,
foste o herói da tarde,
da exclusão que nos induziste a aplicar ao Ricardo,
aínda hoje não percebo porquê,
da minha queda para estar sempre a mandar-me para o chão

Lembras-te amigo?

da tua certeza inabalável,
"Claro que sei quando é o último comboio, eu estudo aqui..."
e nós a palmilhar da Portela de Sintra a Rio de Mouro, GNR para trás, mãe furiosa pela frente...

dos memoráveis concertos em Alvalde, o Portugal ainda vivo, os GNR com lotação esgotada, os teus Dire Straits, os meus Guns,
e nós a lançarmos palavras de ordem,
sempre em frente à torre de som...

Lembras-te amigo?

das noites de guitarradas, tu a fazeres a primeira voz mas a minha sempre mais alta...
eu a solar, tudo ao lado, e tu a gabares-me aos outros "Diz que se engana, tomara eu enganar-me assim!"
o nosso maior fã, com "piquinho a azedo", simpático mas...

o nosso primeiro e único concerto, em Maceira, um flop...

das nossas amigas canadianas,
nossas? bom, não fui eu que brilhei...

Lembras-te amigo?

Lembras-te de nós assim?

3 comentários:

Lusaut disse...

Nos por acaso crescemos na mesma praceta?

Quase que parece. ;-)

Sabe bem lembrar estes tempos, os amigos que ficaram e os que foram...

TILAS disse...

Gostei. Gostei mesmo MUITO! Bons tempos...

André disse...

Aí o meu maninho já está tão velho!
Oh Rogério, ainda te faltam aí as tardes a jogar bmp em tua casa, mas isso já foi mais tarde quando eu já cantarolava e andava feito mascote (ou melga) atrás de vocês!!!
Tenho pena d'A Praceta do meu tempo não ter sido igual à do vosso...