26 de outubro de 2005

Mensagem para Caria

Se há coisa que o Tubo faz é tratar bem os seus seis fiéis leitores. Principalmente quando acumulam com laços familiares.

Cruzando os céus, de Carnaxide aos arredores da Covilhã, aqui vai um beijão de Parabéns para a Tia Sandrinha!

3 comentários:

sandra disse...

Obrigado. Bjo da tia.

sandra disse...

Pequeno poema

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava.

Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais...
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém...

Pra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe...

Sebastião da Gama

Francisco Rocha Vilarinho disse...

SANDRA
Quando tu nascete,
Sonhei que meu mundo mudava,
Nossa irmã me chamou para ver a novidade
E logo pensei:
Vou ter a bicicleta que esperava...