26 de março de 2007

Canções pelo Iraque

Dinonísio,

Parece que afinal estivemos os dois e não nos cruzámos (talvez por termos chegado os dois em cima da hora!).

Aceito a boca com fair-play, até porque também eu adorei o momento. (Para quando a gravação em disco do Camané?) Ah, e não deixarei de a cantar, pelo contrário, continuo a trabalhar a minha interpretação para que ta possa dedicar condignamente!

Quanto às minha impressões da noite, Jorge Palma mostrou que é um fazedor de canções único e um intérprete de grande qualidade.
Já o Abrunhosa demonstrou mais uma vez que é um bom compositor, e que por aí se devia ficar. Demasiado frágil e sem essência, a sua interpretação. (As pessoas não aderiram ao seu porno-refrão, a mim parece-me forçado e lembra-me o tempo em q o cantor usava e abusava da política como meio de promoção).
Paulo de Carvalho é um Senhor, como uma voz como não há muitas neste país, e mais uma vez demonstrou que não vive do passado, apostando na renovação e na recriação.
José Mário Branco fez mais uma prova que as grandes canções valem por si só, mesmo quando apresentadas na sua mais clara nudez. O seu humor sarcástico e certeiro é qualquer coisa de esmagador.
Camané é um dos melhores intérpretes da actualidade, tem uma alma enorme e um leque de músicos de primeiríssima água!

Para mim o momento da noite foi a interpretação de "Lembra-me um sonho lindo", do Fausto, pelo próprio e pelo Luis Represas. Momento de partilha, de somas e de recriação. Arrepiante ouvir todo o público a cantar "Rosalinda". Triste, mas não surpreendente, constatar que, nem Fausto, nem Luis Represas, sabem de cor a letra de "O barco vai de saída". Mais triste e inquietante constatar que nenhum dos músicos presentes foi capaz de conduzir a interpretação de "Venham mais Cinco". O Zeca não merecia.

Uma noite muito interessante.

2 comentários:

Dionisio Leitão disse...

Viva Rogério,

A boca foi mesmo isso boca, brincadeira contigo como sabes. Que pena não nos termos encontrado, podiamos ter ido beber um copo a seguir e pôr a conversa em dia. Concordo contigo que o momento da noite foi o "Lembra-me um sonho lindo". Há que tempos não ouvia aquela música linda cantada ao vivo e o Fausto e o Luís Represas fizeram-no muito bem. Para além do Inquietação, claro... e inquietação trouxe de facto a interpretação do "Venham mais Cinco". Mais valia não terem voltado ao palco do que fazerem aquela desgraça ao Zeca. Um grande abraço para ti.

Maçã de Junho disse...

A agenda, a obra, o universo de Jorge Palma em www.bloguepalmaniaco.blogspot.com
newsletter/informações: contactar ladoerradodanoite@hotmail.com