22 de setembro de 2006

graçolas, gritos e desportivismo



A tia ficou picada com o "cartoon" anterior, e quis publicar esta "graçola". Eu acedi porque, além de ela ser uma jóia, já sei que quando o tio vir isto encarregar-se-á de lhe mostrar o que é um bom chefe de família...

Mas já agora, aproveito a deixa. É que a semana foi demasiado barulhenta. Foi na Tv, na rádio, nos jornais, em tudo o que é sítio só se falou numa coisa - o roubo de Alvalade. E de tantas opiniões que ouvi, ninguém teve a coragem de dizer aquilo que é óbvio:

é doloroso para qualquer adepto perder um jogo com um golo irregular. E não resta qualquer dúvida que o golo é marcado com a mão, logo ferido de legalidade (esta expressão é o máximo!). Agora, é ou não é verdade que o lance é muito rápido? (vejam o lance na velocidade normal). É ou não verdade que o árbitro está "nas costas" do marcador, pelo que tem a visão tapada? É ou não verdade que o fiscal de linha está no lado oposto e pode estar tapado pelo corpo do jogador? É ou não verdade que o único sítio onde se vê claramente a falta (e em câmara lenta) é no lado oposto ao fiscal-de-linha? É ou não verdade que o penalty sobre o Moutinho não existe? É ou não verdade que na imagem rápida não parece existir penalty sobre o Liedson, que passa a vida a mandar-se para o chão?

A verdade é que o lance é irregular mas é um lance possível de acontecer em qualquer jogo, com qualquer árbitro, esteja comprado ou não. E ninguém teve coragem de o assumir. Custa perder assim mas é preciso aceitar que nada teve a ver com incompetência do árbitro, mas sim com insuficiência de meios. Se querem protestar, façam-no com a FIFA que já devia ter resolvido alguns problemas como a profissionalização dos árbitros e a reformulação das equipas de arbitragem (2 árbitros? 4 árbitros auxiliares?).

Houve claramente um excesso na forma e no conteúdo dos protestos. A começar no presidente do Sporting, que foi muito imprudente nas suas declarações. Porquê? Porque toda a gente ficará à espera do jogo em que o Sporting ganhe um jogo com um lance irregular, para saber se o clube pedirá a repetição do jogo, e dê uma prova do tão apregoado fair-play. O que dirá Soares Franco quando fôr assinalada uma das muitas quedas fantasmas de Liedson na área? Porque não protestou da mesma forma uma semana antes, quando o Sporting ganhou com um golo precedido de falta ou quando o mesmo árbitro expulsou Nuno Gomes depois de ter perdoado dois jogadores do Boavista em situações idênticas?

É isto que não acontece em Inglaterra, Sr. Franco....

3 comentários:

Ana disse...

Sr. Anfitrião:
É verdade que houve muita polémico à volta deste resultado e deste golo em particular. A questão é: com o clube de que V. Ex.ª veste as cores, é diferente???
Ninguém agrediu o árbitro, ao contrário de outros (lamentáveis) casos e posso testemunhar que o que se gritou em coro foi, de uma forma quase pueril e inocente, «Gatuno!». Teria sido assim, na Luz? Duvido..

Rogério Charraz disse...

Exma. Sra. Ana,
Está redondamente enganada porque:
1-Como sei que é visita regular deste espaço, reparou seguramente que não fiz nenhum reparo à arbitragem do jogo em questão. E não o fiz porque, embora como disse anteriormente ache que o critério utilizado para a expulsão do Nuno Gomes deveria ter sido utilizado antes em dois jogadores adversários, penso que o Benfica perdeu porque jogou mal. E como, ao contrário de outros, não tento encontrar explicações esotéricas para as derrotas do meu clube, aceitei com desportivismo esse facto.
2- Quanto às expulsões, tenho pena que o Petit só tenha apanhado três jogos. Quem veste aquela camisola tem a obrigação de exibir outro tipo de classe e como tal deveria ficar seis jogos na bancada para não repetir. Sendo capitães de equipa, tanto Petit como Nuno Gomes têm ainda mais obrigações que os outros.
3- A paixão clubística embora não me deixe ser imparcial, não me tolda a capacidade de análise. Para dar um exemplo, fiquei várias vezes irritado no Domingo com o Nuno Assis porque em cada duas vezes que tem a bola, uma deita-se para o chão sem ninguém lhe tocar. Creio que não é um comportamento aceitável para nenhum desportista, menos ainda para um jogador do Benfica.
Espero tê-la esclarecido.

Ana disse...

Exm.º Sr. Charraz:
Apenas um reparo: se bem leu o que eu escrevi, em momento nenhum disse ser V. Ex.ª igual ao típico e tacanho (peço desculpa pela ofensa a quem servir a carapuça) adepto benfiquista.
Se reparar, as minhas perguntas não se referem a V. Ex.ª (até porque não é meu hábito vir ofender as pessoas em sua casa - para isso, espero que cheguem à minha :-)), mas sim ao que sucede com os adeptos benfiquistas em geral, perante situações destas e do que teria sido chamado o árbitro se tamanho erro tivesse sido cometido na Luz.
Porque, ao que me lembro, quando houve o golo-que-nenhum-membro-da-equipa-de-arbitragem-viu-ao-FCP, os epítetos lançados aos senhores que mandam no jogo foram bem mais mordazes e bem menos educados.
Quanto a V. Ex.ª, estimo o fair-play, que, de qualquer forma, já tinha demonstrado com a publicação da imagem supra.
Saudações leoninas