18 de julho de 2006

O Motivo de Scolari

O Tubo d`escape apresenta o porquê de Scolari ter renovado o seu contrato com a FPF por mais dois anos. Notícia do Mais Futebol:

Liedson: «Se me convidarem para jogar por Portugal vou pensar com carinho»

«Nunca pensei em naturalizar-me. É coisa para se pensar e não veria mal algum se tivesse algum convite. Não depende só de mim. Nós vamos onde nos sentimos bem e se visse que me sentia bem nesse lugar e que as pessoas se sentissem bem com a minha presença não haveria problema algum e se futuramente houver um convite com certeza que vou pensar com carinho», afirmou.

Apesar de legalmente Liedson não poder ser considerado cidadão português, existe sempre a possibilidade de ser pedido, excepcionalmente, bilhete de identidade português desde que as entidades nacionais entendem que à justificação para tal. O avançado sorriu perante tal possibilidade e elogiou o trabalho de do compatriota Scolari: «Está a fazer um trabalho muito bom há bastante tempo. Comentei no Brasil que se Portugal chegasse à final do Mundial não era surpresa nenhuma. Já conheço as pessoas que trabalham na selecção e foi uma fatalidade Portugal não chegar à final. A selecção está a fazer um grande trabalho e se houver um convite vou pensar nisso.»

Mas o Tubo d`escape foi mais longe, e após profunda investigação, conseguiu saber qual o onze base que Scolari idealizou para enfrentar o apuramento para o próximo europeu de futebol. A vossa atenção, em primeira mão, um exclusivo mundial:





BANDEIRAS AO ALTO!

3 comentários:

zmsantos disse...

Só mesmo de ti. Se calhar até nem andas longe da verdade...

Abraço

A ignorante da Lapa disse...

Desculpem lá a maçada, mas o Deco não se naturalizou português, porque um tal treinador do Brasil não o achava suficientemente bom como para jogar na selecção!?

Rogério Charraz disse...

Pois é, mas o que eu questiono não é a qualidade dos jogadores mas os princípios que (não) se usam. Uma selecção é uma representação do país, a imagem de uma nação. E que imagem queremos nós dar, a de que queremos ganhar a qualquer custo, nem que para isso tenhamos que "inventar" portugueses? Porque no fundo é isso que interessa hoje em dia, ganhar! Não interessa se jogamos mal, se passamos a vida a simular penaltis, se escolhemos ou não os melhores e os mais bem preparados, se respeitamos os nossos adversários, tudo isso é secundário desde que ganhemos os jogos e fiquemos bem classificados. Deco é um dos melhores jogadores do mundo, Liedson é um goleador nato, mas são brasileiros. Nada contra os jogadores nem contra brasileiros (até tenho familiares brasileiros que adoro). É uma questão de princípio e de lealdade. Temos que jogar com as "armas" que temos e não com as que pedimos emprestado. E não me venham com a ideia que as outras selecções fazem o mesmo porque é o argumento mais mesquinho e ignorante que se pode usar. Tenho dito!