30 de junho de 2006

Leva tudo mas não me tires a Internet.... (IV)

E depois há surpresas BOAS! Pessoas aparentemente "banais" que encontram espaço para se revelar, para mostrar facetas escondidas sabe-se lá porquê. Provavelmente porque vivemos num mundo onde não se valoriza a criatividade, não se compreende a diferença e em que somos educados a pensar primeiro no bem estar material e só depois no equilíbrio emocional e no desenvolvimento das capacidades que nascem connosco e que nos fazem feliz, mesmo quando não são lucrativas...
Naturalidade vs Nacionalidade vs a Selecção
He nacido en el país de origen de mi nombre propio, que tiene la capital más romántica e iluminada – lo que dicen, que yo nunca me enamorado allí y tengo falta de vista – donde los sindicatos aun constituyen una fuerza poderosa y los jóvenes han podido parar una medida innovadora del gobierno, pero que aún así, ya nada me identifica con él, soy apenas un número más en una maternidad.Vivo en un país que consideré por ignorancia – y hay días que aún considero, por conocimiento - un auténtico atraso de vida - porque aquí no pasa nada que no solucionemos “encima dos joelhos” - que me ha visto crecer y madurar, que me ha dado la formación y donde ahora pago mis impuestos, el préstamo de la casa, la letra del coche – y paremos por aquí que me deprimo – donde cuando llegué no había casi nada y ahora encontramos casi todo, donde no tenia nada y ahora tengo mi vida, que me proporciona la nacionalidad con todos sus derechos inherentes, pero que aún así …
Crecí en un país al que le costó a pulso ganarse la democracia y lo consiguió a través de la monarquía, que se vanagloria exageradamente de él, pero que por eso ha conseguido ponerse por delante de muchos, que está partido en trozos y donde no siempre hablan la misma lengua, pero donde aún así me educaron con mucho amor - en una familia de cuyo nombre me orgullo y por eso lo utilizo – que me proporciona momentos de felicidad cada vez que piso su tierra, que me recuerda los momentos más entrañables de mi vida y los más difíciles también, donde guardo todos mis sueños, los de antes y los de ahora.Nunca me ha gustado que hablarán mal de España ni de los españoles, hoy tampoco me gusta que hablen mal de Portugal ni de los portugueses, y es que como alguien que mucho aprecio me dijo un día, por mucha razón que se tenga, una cosa es que yo hable mal de mi hermano, otra, que lo hagas tu!
Poderia desfazer-me em elogios, tentar explicar o impacto que teve em mim a descoberta do talento e da sensibilidade, mas não o vou fazer.
Aproveitem o fim-de-semana e vejam com os vossos olhos um blog diferente, para ler com tempo, atenção e dedicação. Quem escreve assim...
Bom fim-de-semana!

4 comentários:

Uma vida qualquer disse...

O meu porque é muito fácil, porque eu assim o quis.
O mundo valoriza a criatividade, infelizmente paga pela vulgaridade e pela excentricidade – que não necessitam ser subsidiadas.
Quanto ao que sentes por não te deixarem viver do que gostas, não te invejo a situação, mas sim a postura com que a enfrentas.
O talento e a sensibilidade da minha vida formatam-se em Excel!
Espero que quem usar esse link, não tenha a mesma sensação que nos deixa aquela ida ao cinema, em que a crítica pecou por excesso.
E já agora, quem escreve assim … ???

Rogério Charraz disse...

Quem escreve assim não devia limitar o talento e a sensibilidade ao Excel! Quem escreve assim deve assumir que tem algo a dizer e que possui os atributos para o fazer. Quem escreve assim é motivo da minha admiração, mesmo que se queira esconder na humildade e no aparente desinteresse. Quem escreve assim tem o dever moral de não deixar de escrever. Da minha parte, farei os possíveis para que isso não aconteça...

zmsantos disse...

E da minha parte, modestamente, também. Aliás, os textos que tenho lido são tão bons que têm exercido em mim, como que uma inibição de os comentar, preferindo guardar as opiniões com o receio de alguma forma os desvirtuar.
Mas estamos, sem dúvida, na presença de um enorme talento da expressão pela palavra, onde qualquer comentário estará sempre a mais.

Aqui desejo a continuação desse talento.Obrigado à autora pela dádiva.

Uma vida qualquer disse...

Obrigada aos dois pela inspiração.