23 de janeiro de 2006

Match Point

Match Point é o novíssimo filme se Woody Allen.

E é um bom filme, com excelentes interpretações (principalmente as masculinas) e uma história que nos agarra do princípio ao fim, apesar de durar mais de duas horas...

Começa de uma forma brilhante, lançando uma ideia que vai estar subjacente em todo o filme. A ideia que não controlamos grande parte das coisas que acontecem na nossa vida. Há quem lhe chame destino, outros crêem ser intervenção divina, há quem acredite em sorte ou em coincidências, o facto é que muitas vezes somos surpreendidos pela vida e pelas direcções que ela toma. Recorrendo a uma imagem de um jogo de ténis, Woody Allen faz-nos pensar que quando a bola bate na rede, o simples facto de caír para o nosso lado ou para o campo do adversário pode mudar o rumo da nossa vida. E não somos nós que o controlamos...

Em jeito de desabafo, gostaria de dizer que abomino todas as pessoas que comem pipocas no cinema... Barulho irritante!

2 comentários:

nortesul disse...

É mesmo... esse negócio de comer pipocas desconcentra. Bem melhor era no meu tempo. Ia-se ao cinema fazer "marmelada" com a miúda. Ficava mais barato, punha-se a líbido em dia, e se houvesse cuidadinho com as línguas nem um estalido se ouvia.

Já tenho o filme "marcado". Irei vê-lo logo que possa, sem as pipocas mas com a namorada, claro...

Um abraço, Grande!

Lusaut disse...

...se não os consegues
vencer, junta-te a eles...

;-)